O casal de poloneses Michal e Hania Mackowiak morreu na frente dos filhos Leo e Sophie, de 5 e 6 anos respectivamente, ao tirar uma selfie no Cabo da Roca, Vila de Sintra, em Portugal.

 

Eles escorregaram em uma pedra e caíram do penhasco de 140 metros. Michal e Hania Mackowiak não eram somente turistas registrando a paisagem, o casal dedicava-se a promover Portugal, sobretudo Lisboa, através de páginas de turismo como “Lisbon Best”, “Lisbon Gifts” e “World Photo Base”. Michal, fez doutorado em Engenharia pela Universidade Técnica de Lisboa e se apresentava como um “apaixonado por fotografia” no site “Photo Lisbon”, onde oferecia os seus serviços de fotógrafo a turistas.

Aqui, as pessoas vivem melhor do que na Polônia. O clima é mais ameno, e os habitantes são amigáveis. Todos os dias têm mais folga, e as pessoas parecem mais felizes do que os poloneses, mas realmente em ambos os países se ganha dinheiro”, escreveu Michal Mackowiak em um dos textos sobre a vida dos poloneses no exterior. Michal, o pai da família se apaixonou por Portugal quando fez um intercâmbio pela Universidade. Ele concorreu a uma bolsa para cursar seu doutorado na Universidade de Lisboa e, após conseguir a bolsa, Michal mudou-se para Portugal com sua esposa e seu filho – que na época era recém-nascido

 

Eles viveram um tempo em um apartamento emprestado por um amigo. A filha do casal, Sophie, nasceu em Portugal. Michal também trabalhou por um ano em um programa português de talentos estrangeiros como pesquisador sênior. Infelizmente, em uma questão de segundos tudo se transformou em um pesadelo. Eles queriam uma foto interessante do precipício, então deixaram seus filhos afastados, passaram pela faixa de segurança e foram tentar tirar a foto.Mas, infelizmente, o casal escorregou e despencou do penhasco de 140 metros de altura, morrendo no local.

 

Segundo o comandante do Porto de Cascais, Dário Moreira, as vítimas, foram resgatadas por Bombeiros Voluntários de Almoçageme para um helicóptero da Autoridade Nacional da Proteção Civil (ANPC). Nas operações de socorro, participaram oito viaturas dos bombeiros, uma lancha da Polícia Marítima e um helicóptero da Força Aérea Portuguesa. Os filhos, Leo e Sophie, ficaram sob responsabilidade da embaixada Polonesa em Portugal após o acidente. “Depois do acidente, as crianças ficaram sob os cuidados de proteção consular e também de psicólogos. Eles foram protegidos, e todas as necessidades serão assistidas”, disse Bronislaw Misztal, o embaixador polonês em Portugal.

 

Hoje, Leo e Sophie moram com os avós, na cidade Suwalki, noroeste da Polônia. No site turístico Lisbon Best com fotos tiradas por Michal Mackowiak ainda estão no ar. “A intenção da família é mantê-los online”, disse um amigo da família ao jornal português Observador.

[ Observador ] [ Fotos: Reprodução / Observador ]