Uma tendência assustadora parece estar tomando conta do ambiente marinho e nós, humanos, temos total responsabilidade com o que está acontecendo.

Nos últimos anos, diversas baleias e outros mamíferos foram encontrados mortos por obstrução intestinal gerada pela ingestão de plásticos, em especial sacolas.  

Em uma análise mais profunda, animais como tartarugas que consomem águas-vivas como parte de sua dieta, confundem sacolas com estes animais e consomem por engano o plástico, que ocasionará sua morte após algum tempo.

O biólogo marinho Darrell Blatchley encontrou uma baleia-bicuda-de-cuvier flutuando nas águas da ilha filipina de Mindanao, no sul do país.

Os pescadores contaram que ela vomitou uma grande quantidade de sangue antes de morrer. Antes mesmo de abrir o mamífero, o biólogo já havia afirmado que sabia o motivo de sua morte:

Eu sabia que esta baleia havia morrido devido à ingestão de plásticos. Eu só não estava preparado para a quantidade de plástico que existia dentro dela.  

Mais de 40 kg foram encontrados dentro do estômago do animal – sacolas de supermercados, sacos de lixo, sacolas de lixão, quatro sacos de bananeiras usadas em lavoura e mais de 16 sacos de arroz.

Foto: Reprodução / Mary Gay Blatchley

“O plástico fez tão mal que o corpo começou o processo de calcificação. O plástico estava lá há muito tempo. Seu estômago estava tentando absorvê-lo desesperadamente, de qualquer maneira, para que ela não morresse”, disse.

Em entrevista por e-mail ao jornal The Washington Post, Lindsay Mosher, gerente de projeto da Oceanic Society’s Blue Habits, disse que “a morte trágica desta baleia por plásticos é um importante alerta para o fato de que podemos e devemos fazer mais para deter a poluição dos oceanos”.

Só na última década, o museu D’Bone Collector já catalogou mais de 57 baleias e golfinhos que morreram após engolir plásticos em geral, como redes de pesca e objetos variados. Deste total, 4 baleias estavam grávidas. O biólogo Blatchley comentou que até o momento, esta é a maior quantidade de plástico que ele já viu no estômago de uma baleia.

“Isso não pode continuar”, comentou. Ainda segundo ele, os cetáceos – que são mamíferos marinhos, que incluem baleias, golfinhos e outros animais – não bebem água dos oceanos, mas absorvem água fresca através da alimentação.

Ainda sobre o tema, a revista National Geographic informou oficialmente que mais de 30 baleias encontradas nas praias europeias em 2016 morreram por plásticos alojados em seus estômagos. Além disso, existem inúmeros registros de plásticos no interior de animais ocasionando a morte de aves, peixes e tartarugas.

Foto: Reprodução / Mary Gay Blatchley

Um estudo oficial publicado em 2017 previu que nos próximos 10 anos, os resíduos plásticos jogados nos oceanos aumentariam drasticamente o número de morte de animais inocentes, o que pode causar um desequilíbrio global e danos futuros à vida marinha.

Diversas nações, consideradas como grandes poluidoras, não possuem programas que realmente encarem a questão da poluição ambiental como algo verdadeiramente urgente e não se empenham para tornar o sistema de coleta de lixo e reciclagem uma prioridade.

Ao que tudo indica, iremos registrar cada vez mais mortes lamentáveis como esta, por ingestão de plásticos, material este que nós, humanos, inventamos.