A atriz e escritora americana Lena Dunham, mais conhecida como a criadora e estrela da série da HBO, “Girls”, anunciou recentemente que estava ausente do trabalho para descansar devido à endometriose, uma condição que, segundo ela, está tomando seu corpo.

 

É uma condição que afeta centenas de milhões de mulheres e meninas ao redor do mundo, mas a maioria das pessoas não sabe o que é a endometriose ou como ela pode afetar o corpo de uma mulher.

breitbart.
Atriz Lena Dunham. Foto: Reprodução / Breitbart

O que é a endometriose?

A endometriose é uma condição que ocorre quando as células que revestem o útero de uma mulher, células endometriais, começam a crescer fora do útero. As células podem crescer nos ovários, trompas, na camada exterior do útero ou do intestino. Em casos raros, podem se espalhar para outras áreas como os pulmões, nariz, braços ou pernas.

 

O grande problema com o crescimento deslocado destas células é que mesmo elas não estando no útero, permanecem agindo como se estivessem. Entretanto, ao contrário das células do endométrio no útero, elas não têm para onde ir, o que pode resultar em uma série de sintomas dolorosos.

 

Sintomas

Dependendo da localização das células, a endometriose pode causar dor pélvica, cólicas dolorosas, dor durante a relação sexual, dores lombares, dor durante as evacuações, sangramento anormal e infertilidade. Seguem alguns sintomas frequentes deste mal:

1 – Dismenorreia (dores no período menstrual)

2 – Dor no baixo abdômen ou cólicas que podem ocorrer por uma ou duas semanas antes da menstruação

3 – Dores nas relações sexuais com penetração

4 – Dores ao urinar e evacuar

5 – Sangramento excessivo durante os períodos menstruais

6 – Infertilidade

7 – Fadiga

8 – Diarreia

9 – Náuseas

Há casos em que a paciente nem ao menos percebe que tem endometriose, pois a doença pode não manifestar sintomas. Logo, a intensidade da dor não está relacionada à extensão do problema.

 

Diagnóstico

Talvez a notícia mais deprimente sobre a endometriose é que ela pode ser difícil de diagnosticar. Muitos médicos consideram a dor e o desconforto sentido por mulheres como parte normal do ciclo menstrual, particularmente se elas só sentirem em determinados momentos do mês. É por isso que os estudos descobriram que leva de 3 a 11 anos após o início dos sintomas de endometriose para uma mulher obter um diagnóstico verossímil.

 

Os médicos podem pedir um leque de exames à paciente: exame pélvico, ultrassom, ressonância magnética e laparoscopia para diagnosticar a endometriose e desenvolver um plano de tratamento, dependendo da localização das células rebeldes.

 

Tratamentos

Enquanto não há cura para a endometriose, existem planos de tratamento que podem ajudar a minimizar a dor e outros sintomas associados com a condição. A chave aqui é o diagnóstico precoce, porque cada vez que o tecido se acumula, pode deixar para trás tecido cicatricial e danificar outras células nessa área. Mas, como já mencionado, pode ser difícil conseguir um diagnóstico rapidamente.

 

As opções de tratamento dependem da idade da paciente, da seriedade dos sintomas, da gravidade da doença e do desejo de ser mãe. Os tratamentos podem ser: medicamentos para controlar a dor, medicamentos para impedir que a endometriose piore, cirurgia para retirar as áreas afetadas pela endometriose ou histerectomia com a retirada dos dois ovários.

 

É sempre bom fazer seus exames com certa frequência, pois não há meios de prevenir a endometriose.

[ MNN / Minha Vida ] [ Foto: Reprodução / Dicas de Saúde ]