A Motorola não quer apenas fazer telas de telefone celular que sejam resistentes a quebras. Se depender deles, as eventuais quebras que aparecerem em seus aparelhos ultra-resistentes poderão ser corrigidas pela própria tela.

 

Recentemente, a empresa solicitou uma patente em uma tela de telefone cujo polímero de memória “cura” danos quando você a sujeita a mudanças rápidas de calor. O telefone em si poderia produzir o calor (a Motorola até mesmo prevê um aplicativo que informa ao telefone para começar os reparos), mas o calor do seu corpo também pode funcionar.

 

Isso parece um sonho para quem já destruiu uma tela de telefone. No entanto, há algumas ressalvas.

 

Primeiro, é claro, é que este é um pedido de patente – não há garantia de que a Motorola ou a empresa-mãe Lenovo tenham algo concreto. Além disso, uma tela de polímero provavelmente não será tão agradável ao toque quanto o vidro, e a tecnologia nunca restaura completamente a força da tela.

Mas isso ainda é melhor do que ter que pagar muito dinheiro cada vez que o seu celular cai de cara no chão, e poderia facilmente fazer sentido para dispositivos mais robustos, nos quais quedas são praticamente esperadas.

[ Engadget via HypeScience ] [ Foto: Reprodução / Pixabay ]