O Food and Drug Administration (FDA) dos Estados Unidos acaba de aprovar um aparelho que drena 30% dos alimentos ingeridos diretamente do estômago, antes que o corpo possa digerir e absorver a comida.

A tecnologia é chamada AspireAssist, e foi criada no estado americano de Pensilvânia, apesar de ter sido vendida apenas na Europa nos últimos cinco anos. A empresa espera agora conseguir a liberação da venda do equipamento no Canadá.

O público alvo da empresa é pacientes que já tentaram de tudo para emagrecer mas que não querem se submeter à cirurgia bariátrica, que é mais cara e invasiva que utilizar o dreno. O equipamento funciona ao se conectar a um dreno inserido na parte superior do estômago. Ele contém um tubo para que o bolo alimentar saia e seja depositado diretamente no vaso sanitário. Depois, uma bolsinha com água potável é pressionada para que seu conteúdo seja inserido no estômago, diluindo melhor o conteúdo do estômago para uma segunda drenagem.

 

O procedimento acontece 20 minutos após a alimentação, e para que o alimento saia sem dificuldade, é necessário praticar uma mastigação cuidadosa com grande ingestão de água. A drenagem dura entre 5 e 10 minutos.

 

Os testes realizados pela empresa antes da liberação do produto envolveram 171 pacientes obesos. O grupo de controle tinha 60 deles, que participaram apenas de terapia para mudar os hábitos alimentares, enquanto o restante participou de terapia e também utilizou o aparelho. Os pacientes do grupo controle perderam 3.6% do seu peso total depois de um ano, enquanto os pacientes que usaram o equipamento perderam 12,1% do peso total.

 

Uma das desvantagens do aparelho é a exigência que o paciente tenha disciplina para mastigar intensamente o alimento. Outro problema mais grave é que alguns pacientes tiveram dores de garganta e até sangramento quando utilizaram o dreno. Outro obstáculo é o preço: sem contar com os gastos da inserção do tubo no estômago, o aparelho e as sessões de terapia necessárias custam entre US$8 mil e US$13 mil.

Veja um vídeo publicado pela empresa produtora do aparelho:

Futurism.com via HypeScience ] [ Foto: Reprodução / Futurism ]