Um estudante de graduação do New Jersey Institute of Technology, nos EUA, fez seu próprio aparelho dentário de plástico totalmente funcional usando uma impressora 3D, 60 dólares em materiais e uma dose de engenhosidade. Amos Dudley usava aparelho no ensino médio, mas não usava um fixador, como deveria, então seus dentes lentamente começaram a se deslocar mais uma vez. Ele não queria gastar milhares de dólares em um novo aparelho, então o especialista em design digital decidiu fazer o seu próprio. 

 

Em seu blog, Dudley escreveu que estava sujeito a uma combinação improvável de duas coisas: ele estava sem dinheiro, mas tinha acesso a uma impressora 3D de alta qualidade através de sua universidade. O processo não foi exatamente fácil. Dudley teve que pesquisar procedimentos ortodônticos e acertar seu novo aparelho, para que seus dentes se movessem da maneira correta. Mas, uma vez que isso foi feito, tudo o que ele precisava era fabricar uma série de modelos de plástico relativamente baratos e, em seguida, usá-los.  Dudley viu uma foto de um “tratamento de alinhamento” e notou que o plástico parecia ter as estrias da camada de uma impressão em 3D. Então o que o impedia de imprimir em 3D o seu próprio aparelho, ele pensou. 

Primeiro ele fez um molde dos próprios dentes com pó de alginato. “Estes moldes são muito precisos, e capturam uma incrível quantidade de detalhes”, ele escreve. Havia algumas bolhas no molde, mas não importariam para o alinhador. “Eu coloquei o molde de cabeça para baixo em um recipiente de iogurte e, em seguida, preenchi com Permastone líquido (um material usado para dar aparência de pedra para pisos e outras partes de uma construção)”, ele escreve. “Quando tirei, eu simplesmente quebrei o topo para revelar o molde, e usei uma lâmina de barbear para suavizar a área circundante”. Agora ele tinha uma melhor noção do que estava acontecendo com seus dentes. Mais especificamente, Dudley conseguia ver que seu incisivo lateral direito (Llr) estava avançando. 

 

O scanning a laser foi razoavelmente indolor, diz ele. “As dimensões do scan pareciam corresponder muito bem às dimensões que medí no modelo físico com pinças”, escreve ele. Dudley também diz que criar a animação, que mostraria o caminho que seus dentes levariam através de diferentes iterações os aparelhos, também não foi particularmente difícil. “Aqui é onde começou a ficar muito emocionante”, ele escreve. A impressão 3D dos moldes.  “Rotular as peças é fundamental”, aconselha. “Elas parecem praticamente idênticas”.  Depois que as versões finais dos aparelhos saíram da máquina, Dudley lixou as bordas para que elas não irritassem suas gengivas. 

 

E aqui está o resultado, mostrando que os aparelhos realmente funcionaram depois de quatro meses de uso. 

 

Antes  

Depois  

Business Insider via HypeScience ] [ Fotos: Reprodução / HypeScience ]