Um gel feito a partir do próprio sangue de um paciente e, em seguida, injetado em seu couro cabeludo, pode ser uma nova maneira de combater a perda de cabelo. O gel possui um plasma rico em plaquetas (PRP), uma mistura concentrada de substâncias no sangue que ajuda o crescimento celular e a cicatrização.

 

PRP é feito de uma pequena quantidade de sangue coletada do braço de um paciente. Em seguida, ocorre o processamento da amostra em uma máquina que gira em alta velocidade, até que os diferentes componentes separam-se. O sangue é, em grande parte, composto de um líquido amarelado claro, chamado plasma, com glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas.

 

O plasma e as plaquetas podem, supostamente, ajudar o crescimento e a cura celular. O plasma rico em plaquetas é, por vezes, utilizado para tratar lesões no tendão, bem como queimaduras. 

 

Agora, pesquisadores dos EUA estão testando o gel para a forma mais comum de perda de cabelo, chamada alopecia androgenética (conhecida em homens como calvície de padrão masculino). Estima-se que a condição afete mais de metade de todos os homens com idade superior a 50 anos e metade das mulheres com mais de 65, até certo ponto, fazendo com que o cabelo fique mais frágil.

Foto: Reprodução / Wikipédia
Foto: Reprodução / Wikipédia

Ela é causada por uma combinação de fatores genéticos e hormonais. Uma forma de testosterona, di-hidrotestosterona (DHT) pode ser a principal culpada. Ela é necessária para o desenvolvimento de certas características durante a puberdade, tais como os pelos faciais. No entanto, acredita-se que os níveis elevados possam desencadear uma mudança nos folículos pilosos do couro cabeludo, tornando os cabelos progressivamente menores em diâmetro, mais curtos no comprimento e de cor mais clara. Eventualmente, os folículos encolhem até não produzir mais cabelo. 

 

Os tratamentos atuais incluem o Minoxidil, uma solução que é esfregada sobre o couro cabeludo que, ao que tem sido mostrado, pode restaurar parcialmente o crescimento do cabelo. No entanto, de acordo com a Associação Britânica de Dermatologistas, o Minoxidil raramente produz qualquer melhoria que valha a pena a longo prazo, e os benefícios duram apenas se os pacientes estiverem usando religiosamente o medicamento.

 

No novo julgamento, da Universidade de Nova York, nos EUA, 50 pacientes com alopecia receberão uma injeção de PRP ou um placebo em seu couro cabeludo. O plasma rico em plaquetas pode ser injetado dentro de dez minutos após a amostra de sangue ser retirada, para que a terapia possa ser concluída em apenas uma visita médica.

 

A teoria é de que a injeção de plasma rico em plaquetas para os folículos pilosos aumente o fornecimento de sangue e nutrientes, melhorando a atividade das células do folículo capilar, resultando no crescimento de um cabelo mais forte.

[ Daily Mail ] [ Foto: Reprodução / Torange ]