Na Argentina, um homem foi condenado a pagar 8 milhões de pesos argentinos à sua ex-esposa após o divórcio.

A quantia equivale a R$ 720 mil e seria um pagamento pelos 27 anos de tarefas domésticas executadas pela mulher sem remuneração.

De acordo com o Clarín, esta é a maior compensação econômica já indicada pela justiça no país.

A decisão se baseia em uma lei de 2015 que indica que, quando o divórcio acarretar declínio da situação econômica e desequilíbrio para um dos cônjuges, este pode requerer uma indenização.

O pedido foi realizado por M. L., atualmente com 70 anos. A mulher, formada em economia, deixou a carreira para se dedicar ao cuidado da casa e dos filhos, atitude comum quando era jovem.

Para a justiça, isso representou uma clara divisão de papéis na família, visto que ela era responsável pelas tarefas domésticas, enquanto o marido D.B. trabalhava fora.

Em 2009, o casal se separou, concluindo o divórcio em 2011. Como já havia passado dos 60 anos, idade em que as mulheres se aposentam na Argentina, M. L. não conseguiu se inserir no mercado de trabalho e passou por dificuldades econômicas.

Estes fatores pesaram na decisão da juíza Victoria Famá, que condenou o ex-marido ao pagamento de valores que compensariam os anos trabalhados pela mulher em casa sem remuneração.

Fonte: Hypeness Foto: Reprodução / Unsplash