Uma imagem divulgada pela NASA, tirada do espaço, revela uma intensa névoa de poluição envolvendo a costa leste da China. A poluição no país atingiu níveis críticos nas últimas semanas, fazendo o governo emitir um alerta laranja, ou seja, avisando que este é o segundo nível – dos quatro existentes – mais alto de poluição.

 

Os níveis de fumaça na capital do país, Pequim, acabaram de ultrapassar, em 20 vezes, o nível “seguro” estabelecido pela Organização Mundial de Saúde (OMS). É a pior qualidade do ar do ano, interrompendo, provisoriamente, trabalhos de construção e fábricas.

NASA-poluicao-na-China-01

De acordo com a NASA, muitas das partículas poluentes no ar são aerossóis de sulfato, liberados como resultado da queima de carvão, fonte de dois terços da energia da China. Também existe a presença de dióxido de carbono e dióxido de enxofre (que podem criar ácido sulfúrico quando misturado com vapor de água no ar). As baixas temperaturas da China nesta época do ano estão agravando o problema.

 

A imagem assustadora foi feita pelo Visible Infrared Radiometer Imagem Suite (VIIRS), a bordo de um satélite da Nasa. “A imagem mostra extensa neblina, nuvens baixas e névoa sobre a região. As áreas mais brilhantes são nuvens ou névoa, que têm matizes cinza e amarela, por conta da poluição do ar. Outras áreas livres de nuvens têm um manto de névoa cinzenta que impossibilita a visão das cidades localizadas abaixo. Em áreas onde o solo é visível, algumas paisagens estão cobertas de neve”, escreveu a Nasa.

 

No mesmo dia em que a foto foi tirada, o índice de qualidade do ar atingiu 666, em Pequim. Para contextualizar, nos EUA, índices acima de 300 são considerados capazes de causar graves problemas de saúde. A escala dos Estados Unidos, na verdade, só chega até 500.

 

Evidentemente, a poluição da China não é fruto das demandas de produção impostas pelo mundo ocidental. Mas essa névoa perigosamente poluída tem uma vantagem: os sulfatos presentes nela são capazes de refletir a radiação solar, contendo ligeiramente os efeitos do aquecimento global. Assim, embora a neblina poluída seja ruim para os seres humanos, ajuda a anular algumas consequências dos gases de efeito estufa. Porém, isso não minimiza o problema.

[ Science Alert ] [ Foto: Reprodução / NASA ]