Ficar muito perto da televisão pode prejudicar a visão? Ler com pouca luz vai forçar seus olhos? Cenouras fazem você enxergar melhor? Quase todo mundo já ouviu essas recomendações. Mas será que elas fazem sentido? A verdade é que nenhuma delas é embasada em conceitos científicos reais.

 

Segundo Elliott Morgan, que possui um canal no YouTube para o portal Mental Floss, sobre mitos científicos, os olhos não são prejudicados, por exemplo, ao assistir televisão muito perto da tela da TV. Até então, também não há nenhuma evidência científica de que a leitura no escuro seja ruim para os seus olhos, a menos que a pessoa possua tensão ocular e dores de cabeça.

 

O vídeo não menciona que um estudo australiano descobriu que crianças que brincam ao ar livre são menos propensas a desenvolver miopia do que aquelas que passam a maior parte do tempo dentro de casa. Portanto, ler livros no escuro pode não ser um problema, desde que as crianças não deixem de tomar um pouco de sol e esticar os músculos dos olhos durante o dia, também.

 

A respeito de assistir TV com certa proximidade, não existem efeitos a longo prazo associados a isso, e o pior que pode acontecer é o aparecimento de dores de cabeça decorrentes da fadiga ocular, caso isso seja feito por muito tempo.

 

Ao contrário do mito da leitura no escuro, este equívoco é realmente enraizado em algum fato científico. Elliott explica que os primeiros televisores realmente emitiam raio-X, o que poderia danificar os olhos dos espectadores quando estavam muito próximos da tela. Porém, os televisores de hoje não possuem este risco.

 

Outro mito não tão popular, mas ainda frequente, é que cenoura pode fazer bem para a visão. A crença decorre do fato de que as cenouras contêm betacaroteno – um pigmento vermelho-alaranjado encontrado em frutas e legumes que nosso corpo necessita para produzir vitamina A -, que é vital para uma boa visão. Mas apenas uma pequena quantidade de vitamina A é necessária, e ela é encontrada facilmente em uma ampla gama de alimentos, como leite, queijo, abóbora e espinafre.

 

[ Science Alert ] [ Foto: Reprodução / Wikipédia ]