Infelizmente, todos sabemos que crimes cibernéticos estão em rápido crescimento no WhatsApp. Muitos deles possuem grande efetividade no roubo de dados dos usuários, além de grande alastramento.

 

Um novo ataque chocou os especialistas por visar os beneficiários do programa social Bolsa Família, alcançando 600 mil pessoas no Brasil em menos de 24 horas. As informações são de um estudo publicado pela empresa PSafe de segurança on-line.

 

O ataque ocorre basicamente quando o usuário recebe uma mensagem de alguém que já é contato em sua lista de amigos. No texto, está escrito: “quem já recebeu Bolsa Família e ainda tem o cartão tem direito de receber R$ 954 neste mês de maio de 2018, saiba como em…”. O texto de cunho tentador e com afirmações falsas fez milhares de pessoas entusiasmadas a clicarem no link.

Na imagem abaixo, você vê uma prévia do golpe:

Quando a vítima clica no link, entra em um site onde existem três perguntas: “Você possui o cartão bolsa família?”, “Você conhece amigos ou parentes que recebe?” e “Você recebe todo mês?”. Independentemente de qualquer resposta que o usuário dê, não importa, a pessoa é orientada a transmitir a mensagem para 10 contatos ou grupos de seu WhatsApp.

Só após isso ela terá acesso a uma página de cadastro que, de acordo com os dados liberados pela PSafe, gera à instalação de aplicações com cunho malicioso e criminoso, expondo o celular da vítima. Este tipo de programa (instalado sem a pessoa saber) pode deixar o celular do usuário totalmente vulnerável, permitindo invasões, vazamento de informações íntimas e causar prejuízos monetários como roubo de senhas e dados bancários.

 

Para você que tem dúvida, atenção: o governo jamais usará um aplicativo como WhatsApp para divulgar um comunicado, especialmente em forma de “corrente” onde obriga você a divulgar ou compartilhar a informação com toda a sua lista de amigos e contatos.

 

Se você recebeu este ou outro golpe de um amigo, atenção para acusações: muitas vezes as pessoas que enviaram para você são vítimas e foram usadas pelos criminosos, não sendo estas pessoas, por tanto, as culpadas. Cabe a cada um de nós manter o bom-senso na internet e não clicar em links estranhos que recebemos quase que diariamente – sempre é importante verificar a fonte da informação!

[ Foto: Reprodução / The Hack Today ]