Ao longo de uma viagem de um mês com o objetivo de explorar as profundezas dos oceanos australianos, uma equipe de pesquisadores encontrou criaturas tão assustadoras que podem te tirar algumas noites de sono. Até agora, a equipe de pesquisa, a bordo do navio batizado como “Investigator”, pertencente à Marinha Real Australiana, encontrou um peixe-dragão que brilha no escuro, esponjas carnívoras, aranhas-do-mar e um peixe sem rosto. “Gelatinoso e predatório”, é como o pesquisador chefe da equipe Tim O’Hara descreveu a criatura encontrada em um abismo, que parece ter saído de pesadelos: o Bathysaurux ferox.

 

O peixe foi encontrado com o uso de uma rede de feixes que rastreia as águas abissais do leste australiano, onde John Pogonoski, da National National Fish Collection, reconheceu o predador raramente encontrado. “Eu notei a longa base de barbatana dorsal característica do Bathysaurus ferox”,  explicou Pogonoski em um comunicado à imprensa. A única outra espécie no gênero, Bathysaurus mollis, possui uma base de barbatana dorsal curta e uma pequena barbatana dorsal, “Os grandes olhos e dentes são características clássicas de um predador de emboscada”.

Os Bathysaurux ferox de profundidade crescem até aproximadamente 60 cm. Além da boca e dos dentes característicos e ameaçadores, eles têm grandes olhos negro-esverdeados que parecem saltar de suas cabeças. Essa espécie pode ser encontrada em águas com profundidade entre 1 e 2,5 km, razão pela qual ele não é comumente visto pelas pessoas. A população de Bathysaurux ferox está distribuída nas profundezas do oceano Atlântico e na região Indo-Oeste do Oceano Pacífico. 

Abrigados nas profundezas dos oceanos, os Bathysaurux ferox são solitários e raramente encontrados. São predadores de emboscadas, o que significa que encontram suas presas esperando o momento perfeito do ataque. Quando as presas nadam em sua direção, eles mordem com seus dentes flexíveis que se deslocam para o fundo da garganta. É difícil que eles encontrem alimentação no fundo do oceano e ainda mais raro que eles encontrem companheiros.

Para aumentar as chances de reprodução, o Bathysaurux ferox se tornou hermafrodita, com órgãos reprodutores tanto masculinos quanto femininos, para que possam acasalar com qualquer outro membro da espécie que cruze seu caminho. A equipe composta por 30 cientistas e técnicos internacionais continuará explorando o abismo oriental da Austrália até meados de junho. Eles planejam usar suas pesquisas do oceano para mapear e entender melhor a biodiversidade da região.

 

Conheça mais este animal:

[ National Geographic via HypeScience ] [ Fotos: Reprodução / HypeScience ]