O ministro russo das Relações Exteriores, Sergei Lavrov, disse nesta quarta-feira (2/3) que uma erceira guerra mundial teria a presença de armas nucleares e seria destrutiva, segundo a agência de notícias russa RIA.

De acordo com ele, o país não pode deixar que a Ucrânia adquira armas nucleares. “A Rússia não permitirá que a Ucrânia adquira arsenais nucleares”, afirmou.

Nesta terça, o ministro exigiu que os Estados Unidos retirem suas armas nucleares da Europa e alertou que a Ucrânia tem tecnologias soviéticas da época da Guerra Fria.

No domingo, o presidente russo, Vladimir Putin, mandou colocar as forças nucleares do país em alerta máximo.

Em entrevista a Al-Jazeera, o ministro disse que a Rússia está pronta para negociar com a Ucrânia nesta quarta-feira. Os dois países devem iniciar hoje a segunda rodada de negociações para acabar com o conflito.

O chanceler foi boicotado, nesta terça-feira (1°/3), durante discurso em uma conferência sobre desarmamento na ONU, em Genebra. Enquanto o ministro falava, vários embaixadores, ministros e diplomatas se retiraram da sala em forma de protesto. O Brasil foi um dos únicos países a permanecer no local.

Menos de uma hora depois, este movimento se repetiu, quando o chanceler russo falou por vídeo diante do Conselho de Direitos Humanos da ONU.

A Rússia começou a operação militar na Ucrânia, em 24 de fevereiro, após ter reconhecido oficialmente a independência das repúblicas populares de Donetsk e Lugansk.

Fonte(s): Correio Braziliense Imagens: Divulgação