Em junho de 2016 a Mayo Clinic realizou seu primeiro transplante de rosto, unindo o destino de dois jovens que tinham histórias semelhantes. A Mayo Clinic é uma organização sem fins lucrativos da área de pesquisa e serviços médicos fica nos estados norte-americanos de Minnesota, Arizona e Flórida.

 

O paciente que passou pelo transplante de face é Andy Sandness, que ficou com o rosto destruído após uma tentativa de suicídio aos 21 anos, em 2006. Ele atirou contra o próprio queixo e perdeu a mandíbula, maxilar e o nariz. Já o doador dos tecidos e ossos que formaram o novo rosto de Andy foi Calen Ross, que também atirou contra a própria cabeça aos 21 anos de idade, falecendo em seguida. O transplante aconteceu apenas em 2016, uma década depois da tentativa de suicídio de Andy.

Depois de se recuperar do ferimento, Andy passou por vários procedimentos para corrigir a deformação de seu rosto. Mas sem ossos, dentes e nariz, os médicos da equipe Mayo não puderam ajudar muito o paciente. Além de ficar incomodado com os olhares das pessoas na rua, Andy não conseguia sentir cheiros, e tinha dificuldade em respirar, comer e falar.

O jeito foi tentar retomar a vida normal, mantendo-se ocupado com o emprego, no estado de Wyoming. Em 2012 Andy foi contatado pela Mayo Clinic, que sugeriu um transplante de face para melhorar a qualidade de vida dele. O procedimento seria complicado, e havia muitos riscos envolvidos. Depois de muito ler sobre o assunto, Andy decidiu aceitar a proposta.

“Quando você tem a aparência que eu tinha e funciona da forma que eu funcionada, qualquer pequena esperança que você tem, você se agarra nela. Essa cirurgia me traria de volta ao normal”, explica ele.

 

A preparação para o procedimento não foi nada simples. Os médicos da Mayo Clinic passaram 50 sábados, distribuídos em três anos, treinando para a cirurgia. Em janeiro de 2016 Andy finalmente entrou para a lista de espera de órgãos, achando que encontrar um doador levaria anos. Apenas cinco meses depois, ele recebeu a ligação o avisando de que havia um doador.

O doador, Calen, doou vários outros órgãos, mas sua esposa Lilly, que estava grávida, hesitou quando pediram sua autorização para o transplante de rosto de seu marido. Ela conta que aceitou para mostrar ao filho que o pai havia ajudado alguém.

 

Processo de 56 horas

Todo o processo levou 56 horas, envolvendo 60 profissionais. A equipe passou um dia inteiro apenas preparando os ossos, músculos e pele do doador. Já a cirurgia em si levou 32 horas, em que a equipe conseguiu transplantar o nariz, bochechas, boca, dentes, lábios e queixo.

O paciente não foi autorizado a se olhar no espelho por três semanas depois da cirurgia. Quando finalmente pode fazer isso, ficou emocionado. “Quando você perde algo que tinha desde sempre, você sabe como é não ter mais. Mas se você tiver uma segunda chance para ter isso de volta, você nunca mais se esquece disso”, descreve ele.

Seu novo rosto levou várias semanas para desinchar e para as cicatrizes ficarem mais discretas. Ele conta que finalmente percebeu que tinha uma aparência normal três meses depois da cirurgia, quando estava em um elevador e um menininho olhou para ele e não se assustou. Isso nunca tinha acontecido desde o seu ferimento com tiro, 10 anos antes.

 

Além disso, ele recuperou o olfato e respira e come normalmente. Agora ele está aproveitando sua nova vida e a possibilidade de se misturar às multidões. Quer saber mais sobre a caminhada de Andy? Confira o vídeo abaixo:

[ Science Alert via HypeScience ] [ Foto: Reprodução / ScienceAlert ]