Os arqueólogos descobriram uma série de naufrágios romanos que se encontravam no fundo do mar, na costa norte do Egito, na cidade portuária de Alexandria.

Entre os destroços, especialistas já recuperaram parte de uma estatueta de cristal de um prestigioso general e três moedas em perfeitas condições que remontam ao primeiro imperador de Roma.

O Ministério das Antiguidades do Egito anunciou em um comunicado no Facebook que eles encontraram três naufrágios pertencentes à era romana, aproximadamente 2.000 anos atrás, nas águas ao redor de Abu Qir Bay.

A datação dos naufrágios foi elaborada usando moedas de ouro encontradas que retratam o primeiro imperador de Roma, Augustus, também conhecido como Octaviano, herdeiro e filho adotivo de Júlio César, que governou o império entre 27 aC a 14 aC.

Acredita-se que a cabeça da estátua de cristal retrata o general romano Marcus Antonius, também conhecido como Marc Antony, talvez mais conhecido por seu caso de amor com a rainha Cleópatra do Egito, e imortalizado para sempre em Antony e Cleopatra de William Shakespeare.

Cleópatra também teve um relacionamento com Júlio César. Antony cometeu suicídio apontando-se em 30 aC depois de acreditar erroneamente que Cleópatra se matara, então a história continua.

Juntamente com essas descobertas da era romana, a expedição encontrou um artefato de casca retratando o deus egípcio de Osiris, mais tipicamente associado a idéias da vida após a morte, do submundo, dos mortos, da transição e da ressurreição.

O Dr. Mostafa Waziri, chefe do Conselho Supremo de Antiguidades, também observou que eles têm motivos para acreditar que há um quarto navio que espreita nas águas próximas que eles esperam descobrir nos próximos anos.

Ao longo das últimas décadas, Abu Qir Bay (ou a Baía de Aboukir) provou ser um tesouro de antiguidades e relíquias do período pré-helenístico, helenístico e romano. A área era uma vez lar de inúmeros assentamentos, incluindo as cidades afundadas perdidas de Heraklion e Menouthis.

Em 2000, uma equipe internacional de pesquisadores descobriu essas duas cidades, descrevendo-as como “uma das descobertas mais emocionantes da história da arqueologia marinha”.

No mundo antigo, existia um importante centro de várias religiões e cultos”, disse Franck Goddio, arqueólogo marinho francês que trabalhou extensivamente nesta área, em 2000.

Essas cidades não só eram conhecidas por suas riquezas e estilo de vida, mas também por seus muitos templos dedicados aos deuses Serapis, Isis e Anubis”.

Parece provável que é aí que os navios romanos que transportam moedas de ouro e bustos de cristal se dirigiriam. Uma descoberta incrível.

Via: Ahramonline / Fique Sabendo Imagens: Reprodução / Ahramonline