Desde pequenos, aprendemos que devemos passar fio dental todos os dias para prevenir doenças da gengiva e cáries. Mas um pequeno detalhe notado pela Associated Press pode mudar a opinião de algumas pessoas sobre este hábito. O governo federal dos EUA atualiza a cada cinco anos uma série de recomendações sobre dieta e hábitos saudáveis, e desde 1979 é recomendado usar fio dental diariamente. Essas indicações devem ser, porém, segundo a lei americana, baseadas em evidências científicas.

 

Assim que as recomendações de 2016 foram atualizadas, a agência de notícias americana notou o discreto desaparecimento da indicação de passar fio dental. Ao entrar em contato com o governo americano, a agência recebeu a resposta de que os estudos apresentados como base para a recomendação não foram considerados satisfatórios, com métodos desatualizados ou testados em poucos indivíduos. Alguns deles, por exemplo, duraram apenas duas semanas, tempo insuficiente para observar consequências pela falta do uso do fio dental.

Claro que este pode apenas ser um problema nesta área das pesquisas científicas, e não no hábito de usar fio em si. Ainda não podemos afirmar que usar fio dental é inútil. O que causa estranheza nesta situação, porém, é que os próprios fabricantes de fio dental, (que patrocinam várias dessas pesquisas), não conseguem apresentar resultados satisfatórias sobre este assunto. Por outro lado, também não há pesquisas afirmando que o hábito seja prejudicial à saúde, contanto que realizado corretamente. Segundo Wayne Aldredge, presidente da Academia Americana de Periodontologia, a maneira correta de passar o fio dental é com suavidade, com movimentos para cima e para baixo rente ao dente, e não o movimento de “serra”, para frente e para trás.

 

É provável que pesquisas com melhores métodos sejam realizadas nos próximos anos para tampar este buraco, e que a recomendação volte em tempo para a próxima lista do governo dos Estados Unidos. Aldredge admite esta falha na evidência científica e na curta duração de vários estudos. Mesmo assim, ele pede aos seus pacientes que usem fio dental para ajudar a evitar doenças da gengiva. “É como construir uma casa e não pintar dois lados dela. Esses dois lados vão acabar apodrecendo mais rápido”, diz ele.

 

Um dos dentistas dos Institutos Nacionais de Saúde dos EUA admitiu que retirar a recomendação pode ter sido apropriado, até que pesquisas mais rigorosas sejam feitas. Até lá, ele recomenda que as pessoas continuem usando o fio. “É pouco risco por pouco custo. Sabemos que há possibilidades de que funcione, então sentimos segurança em aconselhar as pessoas a continuarem fazendo isso”, compara ele. Portanto, não dá para usar esta notícia como desculpa para não usar o fio dental. Pelo menos por enquanto.

 [ Gizmodo via HypeScience ] [ Foto: Reprodução / Gizmodo ]