Os cientistas tiveram um vislumbre raro de uma mistura natural envolvendo gelo e fogo, após testemunharem uma erupção do vulcão Big Ben, situado no território australiano, na remota ilha subantártica Heard.

 

Embora o Big Ben tenha entrado em erupção pelo menos outras três vezes, desde 2000, capturar o feito é extremamente improvável, dada a localização afastada da Ilha Heard e seu formato. Ela está a 4.099 quilômetros a sudoeste de Perth, na Austrália Ocidental, e quase à mesma distância a sudeste de Madagascar. A ilha está entre os lugares mais remotos da Terra, e os pesquisadores não foram até ela por quase 30 anos.

 

O que torna o acontecido ainda mais especial, é que os cientistas – a bordo de um navio de pesquisa da Organização de Pesquisa da Comunidade Científica e Industrial (CSIRO), da Austrália – estavam em uma viagem para o Planalto de Kerguelen, viram também a atividade vulcânica das chamadas Ilhas McDonald, onde o único outro vulcão ativo da Austrália está.

vulcao-subantartico-01

Vimos o vapor emanando de vulcões ativos da Austrália e testemunhamos uma erupção em Mawson Peak. Temos 10 geocientistas a bordo do barco ‘Investigator’, e nosso entusiasmo se espalhou para nossos 50 companheiros”, disse o cientista-chefe da viagem, Mike Coffin, do Instituto de Estudos Marinhos e Antárticos. 

 

Ver a erupção do Big Ben, localizado a 2.745 metros de altura do Mawson Peak foi particularmente surpreendente para as pessoas a bordo, já que o mau tempo na área diminuía as chances. “Eu estou fazendo meu PhD sobre vulcanismo da Ilha Heard, e ver a lava que emana do Mawson Peak, fluindo pelo flanco do Big Ben sobre uma geleira, foi incrível. Por conta da cobertura persistente de nuvens e do tempo ruim, eu jamais imaginei ver Mawson Peak nesta viagem”, relatou Jodi Fox, um pesquisador estudante da Universidade da Tasmânia.

Usando sistemas de sonar de bordo, os pesquisadores estavam analisando o oceano na área, à procura de sistemas hidrotermais associados a vulcões submarinos ativos. Em menos da metade da viagem de 58 dias, os cientistas identificaram mais de 50 sistemas em potencial. Mas, apesar dos progressos realizados até o momento, o destaque foi a erupção do Big Ben. “Ver a terra depois de estar no mar por várias semanas é emocionante, mas avistar os processos dinâmicos da Terra, como vulcões em erupção, é um bônus maravilhoso”, concluiu Coffin.

[ Science Alert ] [ Foto: Reprodução / Pete Harmsen ]