Até onde chega a nossa tolerância ao vento? No vídeo de 1946, logo após o fim da Segunda Guerra Mundial, um homem foi usado como um experimento científico para descrever os limites da tolerância humana ao vento.

 

Vários testes foram realizados com uma tubulação de vento de alta velocidade pelo Comitê Nacional para Aconselhamento sobre Aeronáutica dos EUA, no Centro de Pesquisa Langley da NASA.

 

O objetivo de expor seres humanos a diferentes potências de vento, era desvendar nossos limites e determinar se seria seguro que um piloto permanecesse na aeronave caso sua cobertura fosse perdida em batalha. O primeiro experimento foi realizado com vento de 57km/h, em seguida 162 km/h, 265km/h, 363km/h, 500km/h, 611km/h e finalmente 735km/h, como consta no registro em vídeo.

 

O limite, aparentemente, é de cerca de 700 quilômetros por hora. Ou seja, se fosse possível colocarmos a cabeça para fora da janela quando em velocidade normal de um avião comercial, provavelmente, não restaria muita coisa para ser analisada. Mas, temos que analisar a posição da “cobaia”, bem como os aparelhos usados para segurá-lo, o que permitiu suportar ventos extremos.

 

Em suma, os testes foram conduzidos com ventos de força de até 920km/h, sem demonstrar efeitos prejudiciais reais aos voluntários. Como se percebe no vídeo, não parece ser a melhor sensação do mundo. Confira:

[ Boingboing ] [ Foto: Reprodução / YouTube ]