Apesar de parecer algo diferente de tudo que você já viu, a imagem retrata o casco de um potro – em outras palavras, o filhote de cavalo -, momentos após o nascimento do animal.

 

A aparência “nojenta” se dá por motivos de proteção. No momento do nascimento, o casco do potro é envolto por uma camada macia e ‘borrachosa’, chamada de cápsula decídua, que serve como proteção para o útero da égua e do canal pelo qual o filhote sai, justamente para impedir que as bordas afiadas machuquem o local durante a gravidez e o parto.

 

Os predadores são atraídos pelo odor exalado da placenta, por isso, o potro precisa ser ágil o bastante para se locomover caso seja preciso, após o nascimento. Para isso, seus cascos necessitam de formação completa.

 

A camada ajuda que a mãe e o potro possam ter chance de sobreviver ao nascimento, escapando caso seja preciso. Durante os primeiros passos, as cápsulas se desgastam e são perdidas aos poucos, até apenas o casco restar.

[ IFL Science ] [ Fotos: Reprodução / IFL Science ]